Porque trabalhar o marketing na crise

//Porque trabalhar o marketing na crise

Porque trabalhar o marketing na crise

Porque Investir em Marketing na Crise

Hoje, no Brasil, há um discurso e uma realidade muito forte que nos levam a perceber a situação atual do país: a crise.

Porém, com ela ou não, é necessário que se entenda que o país não pode parar e é justamente por isso, que simplesmente parar de investir não gerará resultados, muito pelo contrário, apenas cairá ainda mais o número de possibilidades do país. Mas, trabalhar com o marketing na crise, ao contrário de um problema, pode passar a ser a solução para diversos problemas empresariais.

Isso porque, quem utiliza o marketing sabe o poder que ele tem, quando usado de forma certa, mas quando utilizado sem estratégia, metas, análise e clareza de objetivos, tem se a errônea percepção de que ele custa caro, porém, se o marketing simplesmente for eliminado do planejamento das empresas durante a crise, as chances das coisas começarem a dar cada vez mais errado são muitas.

O marketing na crise não deve ser entendido a solução imediata de todos os problemas. Quando a empresa não o utilizava antes da crise, pois toda estratégia requer tempo para trazer os frutos assim como numa colheita.

Mas para as empresas que já lançavam mão do marketing não é uma boa escolha o corte. Importante é avaliar o que não estava dando certo ou trazendo retorno e ajustar as estratégias, para que alguns problemas sejam resolvidos.

Sem dúvida, este é um dos primeiros custos que a empresa pensa em cortar, quando não tem formas de monitorar, medir, o retorno do investimento. Parece mesmo ser a decisão mais assertiva já que o empresário acredita que, as ações não estão dando resultado. Por isso é de extrema importância que os dados possam ser bem analisados e que sejam utilizadas ferramentas que permitam essa correta avaliação.

Como todo mundo sabe a crise não é algo que pode ser controlada por uma ou outra empresa. Muito pelo contrário, ela afeta a população de modo geral, ela simplesmente acontece. E, nesse meio tempo, as empresas que não sabem lidar com a crise, acabam se afundando e fechando as suas portas. E é então que entra o marketing na crise, para mostrar que, nem sempre há uma necessidade de simplesmente se abandonarem estratégias, sem que nenhuma tentativa seja feita por melhorias.

Nestas questões se encaixam a diferenciação entre as propagações consideradas despesa e as que significam investimento com retorno. Isso porque, nenhuma empresa cortará uma estratégia de marketing na crise, se esta comprovadamente gera muitos benefícios para a instituição. Isso só acontecerá se esta estratégia for considerada apenas despesa, que são aquelas que podem levar anos para quem sabe, trazerem resultado, ou seja, sem grandes resultados comprovados e a empresa estiver realmente fechando as portas.

A empresa já se encontra em crise? É necessária então uma avaliação imediata. 

É preciso entender algumas especificações, para que, só então, sejam trabalhados conceitos e estratégias. Isso porque, se a empresa, por exemplo, ainda está em estágio de recuperação econômica e não tenha decretado crise, é possível utilizar o marketing justamente para recuperar alguns pontos da empresa e tirá-la destes problemas.

Se a crise já tiver atingido a instituição, a estratégia de marketing na crise deve ser ainda mais focada, uma vez que esta pode salvar a empresa ou ao menos ajuda-la a sair deste difícil momento. Desta forma, é possível perceber que, independente de qual for a fase que a empresa está passando, existem diversas formas de modificar os conceitos atuais, basta que sejam escolhidas as melhores estratégias.

A questão se encontra na ideia da empresa passar a entender que ela deve primeiramente avaliar os custos e os benefícios de cada um de seus processos, não apenas os de marketing, para que assim possa iniciar o processo de diminuição de custos.

Dessa forma, a empresa passará a trabalhar com prioridades, o que significa que ela selecionará quais são as atividades em evidência e que não podem encerrar, assim como as que não têm trazido saldos positivos para a instituição.

O marketing de conteúdo pode ser a melhor escolha de estratégia neste caso, uma vez que, proporcionando conteúdo inteligente ao seu cliente ou possível consumidor, a empresa estará criando possibilidades de ele conhecer o seu espaço e o que é vendido nele, para que só então, o marketing na crise traga resultados.

O marketing digital, bem estruturado e avaliado em sua análise estratégica e de retorno, e de preferência iniciado antes de uma crise pode ser a peça de sustentação da empresa neste momento onde a empresa pode estar colhendo frutos de um trabalho anterior. Inclusive dando a liberdade de diminuição dos  gastos. Isso porque, a estratégia de comunicação será estabelecida criando autoridade para a empresa e gerando mais trafego orgânico.

Por isso, é preciso entender que, estratégias que já eram utilizadas, se possível devem ser mantidas, já que a parte mais cara e complexa e investimentos iniciais na contratação de programas e pessoas capacitadas para trabalhar,  pesquisas e um conceito e entendimento do mercado já existe na instituição.

Outro ponto que pode fazer toda a diferença quando se fala em marketing na crise fidelizar  o máximo possível os clientes que a empresa já tem: cuidar para, fazer com que estes permaneçam fiéis à instituição fortalecendo o vínculo com a empresa e a venda de novos serviços.

Isso porque, se sabe que manter um cliente é muito mais barato do que conseguir um novo, devido ao alto custo de aquisição, além do tempo gasto neste procedimento.  Manter um cliente pode ser mais fácil pelo fato de que, o custo para a empresa com relação a um cliente fidelizado, é apenas com a manutenção, e relacionamento. Depois, independente do quanto o cliente venha a consumir em produtos ou serviços, o seu custo aquisição já foi pago.

O marketing é um investimento, que deve ser levado em conta, independente se o momento é de crise ou não.

O marketing na crise ou não, apesar de muito discutido, é sempre considerado pelas empresas de sucesso, como como um investimento. Não foram poucas as empresas, neste século, que multiplicaram em muitas vezes os seus valores arrecadados depois da utilização de técnicas de marketing. Isso porque, a partir do momento em que novas estratégias são inseridas na instituição, fica fácil para a empresa, então, passar a ter novos retornos.

Sem dúvidas, em meio à crise, não é possível continuar com tantas estratégias assim, como seria natural em momentos de abundância, porém, cada empresa, ao avaliar a maneira de trabalho e lapidar apenas as as estratégias que naquele momento estão dando certo, acaba fazendo com que o marketing na crise continue acontecendo assim como acontecia antes dela. É possível, inclusive, investir ainda mais em marketing neste momento, visando conquistar novos públicos de maneira criativa e inovadora sempre de olho nas tendências.

Por falar em tendência um exemplo hoje ações colaborativas e de parceria entre empresas que possuem serviços complementares.

Pensando fora da caixa, sempre será possível ter resultados e isso significa que, se a sua empresa está passando pela crise, mas mesmo assim opta por investir no marketing, fica muito mais fácil, controlar todos os processos e manter os números em alta, uma vez que a mídia online permite saber os números atingidos com cada ação de marketing na crise ou não.

Analisar a concorrência também é possível e necessário nos meios virtuais, afinal, em meio á crise, é necessário saber se ela está passando pelos mesmos problemas que a sua empresa está ou quais são os recursos que possibilitaram que ela não entrasse neste processo.

Porém, vale lembrar que sair investindo em tudo que se vê pela frente não lhe trará resultado nenhum, é preciso ter foco, e detalhar os pontos essenciais e o que ele pode ou não melhorar na empresa, para que, só então, sejam selecionadas as melhores e mais bem planejadas estratégias de marketing para o momento.

Por mais que a crise esteja presente, ainda assim as pessoas consomem produtos, uma vez que muitas, mesmo entrando em dívidas, não conseguem controlar o desejo de comprar, em meio a tantas propagandas e chamadas tentadoras para ação.

Vale lembrar que o marketing deve estar disponível para o cliente o ano todo, durante todas as fases pelas quais a empresa passa independente se é de crise ou não. Uma empresa que desiste de estratégias, tirando-as do ar e de repente as retoma, deve entender que o seu cliente não continuará de onde você parou e todo processo começa do zero, onde ele nem sequer sabia que a empresa existia.

Três empresas que investiram no marketing na crise e tiveram resultados positivos além do que esperavam

Muitas empresas aproveitaram a época de crise, quando algumas decretaram falência e outras passaram por maus bocados, desistindo de todos os processos que tinham certos custos, para conquistar novos clientes e manter os antigos através do investimento do marketing na crise e engana-se quem pensa que os resultados não foram extremamente positivos.

Isso porque, como muitas acabaram abandonando processos, acreditado que a crise não acabaria, sendo que se sabe que ela é passageira, abandonaram todas as possibilidades, com medo de investirem ainda mais em algo que poderia, simplesmente, não trazer resultados.

Em meio a isso, as concorrências diminuíram de uma forma gigantesca, uma vez que, em meio a este processo, algumas se perderam no caminho. Assim, quem investiu no marketing na crise, acabou se saindo melhor do que esperava.

Um dos exemplos de empresas bem sucedidas depois da crise é a BFX, instituição muito conhecida pela prestação de assessorias. Esta utilizou a crise para investir pesado no mercado brasileiro, uma vez que o dólar se encontrava alto demais para se comprar fora do país e os impostos estão cada vez mais frequentes por conta da fiscalização da alfandega. Dessa forma, a BFX voltou todas as suas forças para a concorrência que se estabeleceu entre as empresas de nosso país, que em meio à crise, acabaram ficando perdidas. O lucro da empresa foi de mais de um terço do que já vinha ganhando.

O investimento de marketing na crise também pode ser observado na rede de franquias denominada Espetinhos Mimi. Esta vende uma quantia absurda de franquias em épocas de crise, uma vez que são opções para que as pessoas ganhem um dinheiro extra, vendendo espetinhos em grandes eventos, já que a instituição possui popularidade e nome que proporciona clientela garantida.

Já a Just Digital, não deixa a crise tomar conta do cenário empresarial, uma vez que julga este ser o momento mais importante para se investir alto no marketing, uma vez que diversas empresas desistiram desta realidade.

Esta, a crise, é o momento em que a Just Digital se qualifica, deixa todas as possibilidades de serviços oferecidos a disposição de todos os potenciais clientes e investe em todas e quaisquer possibilidade de divulgação. Desta forma, quando a crise passa e até durante ela, a empresa tem potencial e clientela suficiente.

 

By | 2017-04-05T18:48:39+00:00 18 de dezembro 2016|Táticoo|